Este site usa cookies e tecnologias afins que nos ajudam a oferecer uma melhor experiência. Ao clicar no botão "Aceitar" ou continuar sua navegação você concorda com o uso de cookies.

Aceitar

Mentoria

Como Criar um Programa de Mentoria Próprio?

Thiago Germano
Escrito por Thiago Germano
Junte-se a mais de 42 mil pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos sobre mentoria

As transformações do mercado têm levado muitos profissionais de alto nível a empreender através de programas de mentoria próprios.

Esse novo modelo de negócio, que vem crescendo exponencialmente não só no Brasil como no mundo, é capaz de tanto de dar mais destaque às suas habilidades e competências como de aumentar consideravelmente seus ganhos.

Mas, para obter esses resultados, é preciso construir bases sólidas para o seu programa de mentoria.

De acordo com a minha experiência, pensar em fases é a melhor maneira de desenvolver os pilares fundamentais e fazer o seu negócio de mentoria funcionar. Por isso, neste artigo, vou te apresentar:

  • as quatro fases para criar um programa de mentoria próprio;
  • criar seu programa de mentoria;
  • definir seus objetivos de marketing e vendas;
  • executar sua estratégia e iterar.

Continue a leitura!

Fundamentos do seu negócio

Para criar um programa de mentoria, é necessário desenvolver as bases que levarão seu negócio ao sucesso. Caso contrário, você pode até obter alguns resultados, mas a longo prazo, será difícil mantê-los.

Isso porque um negócio de mentoria leva muito do seu criador. E se ele não está alinhado com aquilo o que você acredita, rapidamente perderá a consistência e a credibilidade no mercado.

Pensando nisso, destaco a seguir os fundamentos que você deve levar em consideração no momento de criar seu programa de mentoria próprio:

1. Entenda o seu porquê

Por que você quer abrir um negócio de mentoria? Procure buscar as razões mais profundas que te levaram a essa ideia de empreendimento. Será que você está seguindo “a onda da vez” ou realmente se vê como alguém capaz de ajudar os outros através da sua experiência?

Entender o seu porquê ou o seu propósito de vida, é essencial para criar um programa de mentoria de sucesso. É a partir desse autoconhecimento que você poderá identificar um segmento de mercado que seja compatível com a sua paixão, por exemplo.

Também é essa compatibilidade que vai fazer com que você se dedique ao máximo à construção do seu programa de mentoria. Afinal, se trata de criar uma empresa, um organismo vivo que precisa se manter sustentável ao longo do tempo e gerar lucratividade.

Se as pessoas perceberem que você é consistente naquilo que diz e faz, desenvolverão maior confiança no seu método. E assim sua reputação será fortalecida, o que contribuirá para que você atraia mais clientes.

2. Entenda a demanda do mercado

Nenhum negócio tem sucesso se ele não resolver um problema. Nesse sentido, o segundo fundamento para criar seu programa de mentoria próprio é entender que problema você pode resolver.

Para tanto, você pode usar algumas ferramentas:

Pesquisa de mercado: identificar um nicho de mercado no qual você gostaria de atuar e entrevistar pessoas para entender quais são os problemas que elas enfrentam no dia a dia.

Análise SWOT pessoal: analisar quais são suas fortalezas e debilidades, listar suas competências e habilidades e então verificar como você pode resolver os problemas do segmento de mercado escolhido.

Benchmarking: analisar seus concorrentes e verificar quais lacunas de mercado eles ainda não atacam, desenvolvendo, assim, um serviço único e necessário para o nicho que você se propôs a atender.

Combinando esses três elementos, fica muito mais fácil definir qual será o foco do seu negócio de mentoria. Isso porque sua decisão estará baseada em evidências, não em suposições.

3. Identifique as técnicas e habilidades necessárias

Como eu já falei várias vezes aqui no blog da BMind, você não precisa ser um expert em tudo para se tornar um mentor. Mas tem que ter em mente que, para se destacar no mercado, precisará ser o melhor do seu segmento.

Por isso, um terceiro ponto fundamental a ser levado em consideração na hora de criar um programa de mentoria próprio é fazer uma autoanálise e identificar quais competências e habilidades você tem e quais precisa desenvolver.

Nesse sentido, analise o problema que você está disposto a resolver com seu programa de mentoria e qual resultado é esperado por parte dos mentorados. Então, verifique, na sua análise, se você tem tudo o que necessário para ajudar seus clientes a atingirem seus objetivos.

Na falta de algum conhecimento ou competência, o melhor é traçar um planejamento que permita a você desenvolvê-los. Isso pode ser feito, inclusive, com a ajuda de outros mentores.

Por exemplo: se você é muito bom em gestão de pessoas e quer se tornar mentor nessa área, mas não sabe nada de finanças, terá que aprender a lidar com essa parte importante do seu negócio. Afinal, gerenciar as receitas e gastos do empreendimento faz parte da vida de todo mentor.

Criando seu programa de mentoria

Definidos os fundamentos do seu programa de mentoria, o próximo passo é pensar na estrutura que ele terá. Desse modo, desenvolvê-lo se tornará bem mais simples, pois você saberá quais são as etapas a serem cumpridas para oferecer ao mercado uma solução simples e eficaz.

1. Crie a estrutura

A estrutura do seu programa de mentoria é o que dará as bases para a sua atuação. Para criá-la, comece definindo o resultado que deve ser gerado ao final da mentoria. O que o seu mentorado deverá alcançar?

Feito isso, trace a jornada que ele deverá percorrer para chegar ao resultado. Coloque no papel também como você vai conduzi-lo por esse caminho. A melhor maneira de fazer isso é criando etapas, que podem ser vistas como os módulos da sua mentoria.

Mas Thiago, quantos módulos são necessários? Essa é uma das perguntas que mais recebo dos meus mentorados. E a resposta é: depende.

Não existe um número padrão de etapas ou módulos a serem aplicados. Isso varia de acordo com a solução que você desenvolveu, o seu nicho de mercado e o que é necessário desenvolver com seus mentorados para que eles atinjam seus objetivos.

O que você deve fazer é segmentar a jornada de aprendizado de modo que ela seja linear e coerente. Você também deve ter em mente que não acertará de primeira nessa segmentação. Conforme sua experiência for aumentando, você poderá ajustar a estrutura da sua mentoria para que ela fique cada vez mais afinada com o seu propósito.

Para deixar sua estrutura ainda melhor, divida cada módulo em partes menores. Assim você conseguirá compreender os tópicos que deverão ser abordados ao longo da mentoria.

2. Defina o formato de entrega

O segundo passo para criar um programa de mentoria próprio é definir o formato de entrega do seu conhecimento.

Você fará conteúdos em vídeo, áudio, escritos ou nos três formatos? Suas interações serão presenciais, virtuais ou híbridas (virtuais e presenciais). Que tipo de conteúdo você entregará aos seus mentorados?

Existem infinitas possibilidades aqui, especialmente quando você trabalha com mentoria online. Nesse sentido, é fundamental entender como seus mentorados consomem conteúdo na internet e qual a melhor maneira de gerar valor para eles.

3. Crie conteúdo e ferramentas

Uma vez que sua estrutura esteja pronta e você tenha definido o formato de entrega, é hora de pensar no conteúdo da sua mentoria, assim como nas ferramentas que serão necessárias ao longo do processo.

Minha dica é que você não crie conteúdo antes de ter vendido sua mentoria para um número mínimo de pessoas. Isso porque, durante a venda, você tem a oportunidade de entender melhor as necessidades e expectativas de cada mentorado e assim desenvolver um material mais personalizado.

Outra vantagem de não se preocupar com o conteúdo antes de ter fechado alguns contratos de mentoria é que você não desperdiça seus esforços. Se o seu lançamento não tiver sucesso, o material não é perdido.

Definindo a estratégia de marketing e vendas

Quando se trata de promover um programa de mentoria e captar clientes, existem inúmeras estratégias para isso. E quando falamos em mentoria online, as possibilidades são muito maiores.

Se por um lado isso é positivo, por outro, pode te deixar um pouco confuso sobre qual estratégia de marketing e vendas utilizar. Por isso, minha dica é que você escolha uma única estratégia e a siga à risca.

Melhor ainda se você optar por estratégias comprovadas. Portanto, se for possível, opte por aprender como divulgar seu negócio de mentoria com um mentor. Contando com a experiência de alguém que já se saiu bem nisso, as chances de você ser bem-sucedido aumentam muito.

A estratégia da BMIND

Aqui na BMind, nós usamos a seguinte estratégia:

GERAÇÃO DE TRÁFEGO > EVENTO ONLINE > CONTATO PESSOAL > MENTORIA

Primeiramente, geramos tráfego para o nosso site, ou seja, atraímos novos visitantes. Isso pode ser feito de duas formas:

  • tráfego pago: por meio de anúncios patrocinados no Google, redes sociais e outras plataformas.
  • tráfego orgânico: por meio de conteúdo de qualidade somado a estratégias de SEO (Search Engine Optimization).

Todo esse tráfego converge para uma landing page ou página de inscrição para a participação em um evento online e gratuito. Neste evento, aprofundamos o conteúdo para que as pessoas expandam sua consciência sobre as possibilidades que uma mentoria pode trazer para elas.

Além disso, quebramos crenças limitantes e eliminamos qualquer objeção à contratação de um programa de mentoria. Afinal, contar com a ajuda de especialistas sempre contribui para que possamos superar desafios com mais agilidade e confiança.

Ao final do evento, todos os participantes são convidados a agendar uma sessão pessoal comigo. Nesse contato, procuro entender quais são as necessidades dessa pessoa e se ela está pronta para investir no seu futuro como mentor ou mentora.

Explico, ainda, como funciona o meu programa de mentoria, quais são as etapas, o investimento e os resultados esperados. Desse modo, gero mais confiança no meu método e predisponho a pessoa que está falando comigo a dar um passo adiante em seu objetivo de criar um programa de mentoria próprio.

Se aquele for o momento de a pessoa investir no seu futuro e na sua carreira, oriento sobre os próximos passos dela para se tornar um mentorado. Caso contrário, a conversa toda se torna uma experiência a mais para mim e a possibilidade de, no futuro, retomar a negociação com esse potencial cliente.

5 – Executando e Iterando

Agora que você já sabe quais são os fundamentos para criar um programa de mentoria próprio, desenvolveu a estrutura e definiu sua estratégia de marketing e vendas, chegou a hora de executar tudo isso.

Primeiramente, observe os resultados das suas primeiras campanhas de captação de clientes. Quantos leads (inscritos) foram gerados com suas ações de tráfego orgânico e pago? Quantos deles participaram realmente do seu evento?

Dos presentes no evento, quantos foram para a sessão individual e destes, quantos resolveram investir na sua mentoria?

Todas essas perguntas levam ao acompanhamento de indicadores essenciais para que você monitore o sucesso das suas estratégias de marketing e vendas. Além disso, indicam pontos que podem ser melhorados, especialmente a captação e nutrição de leads.

Uma vez que você tenha fechado suas vendas, começa a entrega da sua mentoria. Eu recomendo fortemente que, ao menos no início, todas as sessões sejam ao vivo. Assim, você garante maior proximidade com os mentorados e tem a oportunidade de coletar dados e informações que vão te ajudar a aprimorar seu programa de mentoria.

Quando você tiver vários casos de sucesso, poderá pensar em um formato mais massivo, mesclando sessões ao vivo com vídeos gravados ou outro tipo de material. Assim, você consegue escalar o seu negócio e aumentar o seu faturamento.

Lembre-se, também, de avaliar a performance do seu programa como um todo. O que pode ser melhorado no marketing? E nas vendas? E na experiência dos seus mentorados?

Crie uma lista de “a fazer” para ir implementando melhorias no seu programa. Assim, ano a ano você será capaz de evoluir com suas estratégias, escalando a quantidade de clientes e, claro, seu faturamento.

O 1º passo para criar o seu programa próprio de mentoria

Para se tornar um mentor de sucesso, é preciso entender o que seus mentorados precisam e como entregar valor a eles. E a melhor maneira de você fazer isso é se tornando também um mentorado.

Passando pela experiência de ter um mentor, além de superar obstáculos mais rapidamente, você tem a chance de vivenciar na pele aquilo o que você espera entregar para os mentorados, em termos de qualidade de conteúdo, experiência e resultados.

Basta fazer uma rápida busca no Google e você vai encontrar diversos profissionais no mercado que podem te ajudar a construir um programa de mentoria próprio. Mas, se você não quer perder mais tempo e ainda poupar seu dinheiro, recomendo que você acompanhe a Hora do Mentor aqui na BMind.Todas as quartas-feiras, das 19h às 21h, eu abordo todos os tópicos que você precisa saber para criar um programa de mentoria próprio sem complicação. Não perca mais tempo e inscreva-se agora!

Hey,

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado.